Raças – Dachshund

Por uma razão bastante especial, meu primeiro post sobre raças precisava ser sobre os dachshunds. Minha família tem criação das criaturinhas… e nosso sítio está repleto delas (e os números aumentam a cada dia *rs*).

Não foi muito difícil encontrar material sobre essa raça, uma vez que sejam cães muito populares no mundo inteiro. Seu nome vem do alemão e significa, literalmente, “cão texugo” (der Dachs – texugo; der Hund – cão). No Brasil ganhou outros apelidos, como “salsicha”, “lingüiça” e “dachshound” (uma leitura errada do nome original) e “basset”, ao ser confundido por leigos com a raça Basset Hound. Por uns temos tornou-se o “cão da Cofap”, graças a propagandas veiculadas em 1989 sobre os amortecedores Cofap.

História

Alguns escritores e estudiosos da raça criaram uma teoria de que os dachshund seriam cachorros criados ainda no Egito antigo, uma vez que diversas gravuras da época exibam um cão caçador de pernas curtas. A American University in Cairo descobriu, recentemente, alguns cachorros mumificados bem semelhantes aos teckels, dando uma maior credibilidade a teoria. Sua atual versão é encarada como uma criação germânica muito difundida em meio às famílias reais européias, incluindo a Rainha Vitória.

As primeiras referências palpáveis ao dachshund vêm de livros escritos no começo do século XVIII. Antes disso, existem referências a “cães-texugo” e “cães de buraco”, que provavelmente se referiam mais aos propósitos do que à raça em específico. Os teckels Alemães originais eram maiores que a variedades de hoje e originalmente tinham as pernas mais compridas. Ainda que a raça fosse mais famosa por seu uso em exterminar texugos, também foram usados na caça de coelhos e raposas, na localização cervos e, em grupos, eram conhecidos por caçar animais grandes como javalis.

No fundo, no fundo… a origem da raça é bastante incerta. Os alemães recebem o crédito pelo seu desenvolvimento: queriam um cão que fosse ágil, resistente e suficientemente pequeno para que pudesse entrar nas tocas de texugos, lebres e coelhos, trazendo-os a mira do caçador. Além do corpo alongado e baixo, o cão precisaria ter um olfato bastante desenvolvido, o que o teckel tem de sobra.

Após ganhar notoriedade na Alemanha como excelente caçador, o cão foi levado para a Inglaterra no século XIX e, nos EUA, chegou em torno de 1879. No Brasil, veio acompanhando dos colonizadores europeus.

Personalidade e Temperamento

Por experiência própria, posso dizer que a raça é uma excelente companhia. Entretanto, precisa ser bem educado, para que não se tornem uns pestinhas. São muito inteligentes e aprendem rápido… o que significa que as técnicas do Cesar, se aplicadas corretamente, trazem um excelente resultado.

O teckel se tornou uma excelente opção para as pessoas que moram em apartamentos, não só pelo seu tamanho, mas, também, por aprenderem com facilidade os hábitos de higiene. Quando bem treinado, tende a não ser o tipo de cão destrutivo, que rói móveis e come as roupas (mas… não se esqueçam que esse tipo de comportamento existe nos filhotes e tendem a melhorar principalmente na fase adulta). São brincalhões e bons cães de vigia, notificando o dono ao menor sinal de aproximação de estranhos.

Ainda que isso varie de cão para cão, costuma ser um pouco teimoso. É muito fiel e demonstra verdadeira paixão pelo seu dono. A CBKC (Confederação Brasileira de Cinofilia) diz que a raça é “amigável por natureza. Nem nervoso, nem agressivo, de temperamento equilibrado. É um cão de caça apaixonado, perseverante, rápido na caça e de excelente faro”.

Aparência

Como boa salsicha que é, ele tem o corpo comprido e as pernas curtas. O padrão standard pesa entre 6 e 9 kg, enquanto o miniatura costuma pesar menos de 5kg. Tem a pele solta e peito tipo barril, atributos selecionados para que pudesse se entocar facilmente em espaços apertados. Eles têm três variedades de pêlo: o curto, o longo e o duro, sendo o curto o mais comum no Brasil. Das 10 padronagens existentes no mundo canino (creio que preciso fazer um post sobre padronagens…), seis ocorrem nos dachshunds: (1) Sólido, (2) sólido com marcações ( preto com marcação marrom claro, chocolate com marcação marrom claro, cinza ou isabella com marcação marrom claro), (3) Bicolor ou “Piebald”, (4) Arlequim ou “Merle” (5) Tigrado ou “Brindle”, (6) Javali ou “Wild Boar/Sable”.

“Existem 4 cores presentes nos Dachshunds, (1) Canela (2) Preto (3) Chocolate (4)Javali. Estas cores podem ser afetadas pela presença do gene de diluição, e exibirem fenotipos variados. (1) Canela pode variar de creme ate vermelho. (2) Preto ao ser diluido apresenta fenotipo cinza tambem chamado de azul. (3) Chocolate ao ser afetado pela diluição cão apresenta o fenotipo Isabella, cinza bem claro, similar a coloração presente em boa parte dos cães Weimaraner. (4) Javali também pode ser afetado na tonalidade pela presença da diluição.” (duvido que eu vá encontrar esse tipo de informação nas outras raças ¬¬).

Algumas pessoas confundem os dachshunds com os basset hounds, uma vez que eles sejam relativamente semelhantes. Minha família cria, principalmente, a padronagem Arlequim (minha favorita!), e as fotos desse post são de dois dos meus lindinhos!!

Saúde

Com o formato comprido que tem, não é surpresa alguma que a raça tenha tendências a ter problemas na coluna, o que, por conseqüência, torna a obesidade um fator preocupante, já que isso influencia na curvatura das costas. O risco de problemas pode ser acentuado, também, por pulos muito altos e exercícios muito intensos. O tratamento consiste na combinação de confinamento e uso de anti-inflamatórios. Caminhadas diárias, manutenção do peso e o não encorajamento em subir e descer escadas ajudam a prevenir estes problemas.

Problemas na coluna podem gerar outras questões, como:

  • Luxação da patela (ruptura de 1 ou dos 2 ligamentos cruzados do joelho), por predisposição genética ou por trauma.
  • Osteofitos ou bico de papagaio, causado pelo crescimento exagerado o osso nos espaços entre as vértebras.
  • Hérnia de disco – causada pela compressão da medula da coluna pelo atrito constante entre as vértebras.

Na velhice é comum desenvolver doenças nos olhos, como catarata, glaucoma e atrofiamento progressivo da retina. Em minha opinião, doenças cardíacas também. Minha primeira cadela da raça o teve, assim como outros teckels que conheci.

Curiosidades

Alemanha, Guerras e Jogos Olímpicos

Dachshunds são tradicionalmente vistos como um símbolo da Alemanha. Durante a Primeira Guerra Mundial a popularidade da raça diminuiu bastante nos Estados Unidos, onde cartunistas políticos comumente usaram sua imagem para ridicularizar o país. Essa associação foi revivida em menor extensão durante a Segunda Guerra, rapidamente desaparecendo com o fim da guerra.

Foi, também, escolhido para ser o mascote oficial dos Jogos Olímpicos de 1972, em Munique, com o nome de Waldi, sendo o primeiro mascote olímpico oficial. A raça foi escolhida por representar os atributos requeridos para os atletas – resistência, tenacidade e agilidade. Waldi foi criado por Otl Aicher e modelado a partir de um cão real, um dachshund de pelo longo nomeado Cherie von Birkenhof. A cabeça e cauda eram azuis e o corpo apresentava faixas com as outras cores olímpicas.

Cofap

Propagandas criadas pela agência W/Brasil trouxe a notoriedade que a raça merecia em meio ao público brasileiro. Elas foram exibidas de 1989 a 1993, usando de grande apelo emocional para associar as qualidades do cão às vantagens do produto.

A primeira propaganda associava o cão ao produto (suspensão automotiva), devido às suas semelhanças. Depois, a agência passou a investir mais no conceito da propaganda. Uma mostrava-o tentando impedir que a família viajasse por causa dos amortecedores vencidos, deitando-se na frente do carro. Outra o mostrava descendo uma rua em um carrinho de rolimã. O slogan era “o melhor amigo do carro e do dono do carro”. A série de comerciais ganhou vários prêmios, incluindo Cannes.

Referências: Wikipedia, http://www.dogtimes.com.br/dach.htm#Personalidade, http://www.petfriends.com.br/enciclopedia/ra%C3%A7as_c%C3%A3es/caes_enciclopediadachshund.htm

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s