Raças – Border Collie

Gente, essa carinha do Border me mata de tão bonitinha. Eu AMO essas raças de cães que ainda carregam traços de lobos, sabe? Ou então aquelas com cara de raposinha… tudo de lindo! Entretanto, não é só de rotinhos que o Border Collie é formado. A raça é conhecida como uma das mais inteligentes entre todas. É um cão espirituoso, que adora o trabalho e sempre topa uma boa brincadeira.

História

No que diz respeito à origem dessa raça, a maioria das pesquisas dizia que foi desenvolvida pelos britânicos há mais de cem anos, sendo nova e descendente de antigos cães pastores de renas, trazidos originalmente da Escócia durante as invasões vikings. Outras já apontariam que suas origens seriam imprecisas, e os indícios de sua formação datariam de 1570. Entre controvérsias, um site especializado em cães de pastoreio (vide referências ao fim do texto) revelou outra possibilidade para a história da raça (ou, num geral, para todas as raças de trabalho).

Primeiramente ele postula que essas características de pastoreio, por óbvio, não teriam sido introduzidas pelo homem e sim seriam carregadas por lobos, raposas, coiotes, chacais e afins há milhares de anos. A única coisa que o homem fez, além de perceber que poderia usar isso a seu favor, foi selecionar os espécimes mais amigáveis, colaboradores, treináveis, inteligentes, menos agressivos, e cruzaram eles até desenvolver as raças atuais. Ou seja, o desenvolvimento desse tipo de cão teria sido pautado por suas características de trabalho, e não por atributos físicos como a maioria das raças.

Isso tudo teria começado, provavelmente, quando o homem passou a se estabelecer em terras e a desenvolver a agricultura e a criação de animais para subsistência, ainda que a convivência entre homens e animais pareça ser mais antiga que isso. Materiais como ossos e ferramentas encontradas dizem que o homem já os havia domesticado no período paleolítico, com possibilidades de divergências sobre datas ainda anteriores.

“No período neolítico, onde o homem polia pedras e construía cabanas, quase todas as raças modernas já estavam domesticadas. E muito provavelmente os cães já ajudavam a cuidar de rebanhos. (…) Já havia, possivelmente, iniciado a seleção do cão pastor que veio resultar no Border Collie, assim como em quase todas as outras raças de cães.”

Claro que o homem, em determinado momento, teve sua participação para chegar aonde chegamos. Ele acabou por unificar cães com características comuns entre si, mas diferente de outras raças, e passou a denominá-los, buscando acentuar tais características nos cruzamentos e seleções. O que o autor enfatiza, concordando com as informações encontradas nos outros blogs, é que o Border Collie de hoje seria realmente originário da região fronteiriça entre a Escócia e a Inglaterra, mas que seria realmente mais antiga que os 100 ou 200 anos atribuídos e teriam, realmente, as primeiras referências literárias em 1570.

“Muitos crêem que o nome “collie” possa deriva de uma palavra gaélica que significava útil. Outros autores afirmam que “collie” vem da palavra “colley”, uma raça de ovelhas. Outra pista é a existência da palavra “coolie” em inglês, que quer dizer trabalhador. Qualquer que seja a hipótese verdadeira, o certo é que há muito “Collie” designava o cão preto (como eram quase todos) e útil que servia aos pastores daquela região.”

Mesmo sendo um cão muito popular em seu país de origem, o Border começou a ganhar popularidade no Brasil por suas atuações em comerciais como os do Unibanco e em filmes como “Babe, o Porquinho Atrapalhado”.

Personalidade e Temperamento

Pense em um cão que passa, naturalmente, a maior parte de seu tempo correndo de um lado para o outro, trabalhando. Pois é! A menos que você tenha muito pique para caminhadas longas e vigorosas com ele mais de uma vez por dia e, como complemento, um grande jardim para ele continuar correndo após as caminhadas… é melhor nem pensar em assumir este fardo! Não é uma raça que se adapta muito bem a apartamentos e ambientes pequenos, podendo se tornar um tanto quanto destrutivo e agitado se não tiver sua energia drenada.

O Border Collie geralmente se dá bem com outros animais, sejam de estimação ou não. Tendem a mordiscar grandes animais, como bois e ovelhas, na tentativa de pastoreá-los. São amigáveis com crianças, mas podem desenvolver esse tipo de comportamento com elas também, assustando-as algumas vezes. Aliás, se o Border tiver chance de pastorear qualquer coisa, provavelmente o fará. Portanto, não é difícil vê-lo reunindo grupos de patos, galinhas, jacarés… sei lá, o que você quiser!

De acordo com o Cesar, além de boas e fundamentais caminhadas, nada melhor para drenar a energia de um cão que exercícios que mexam com as suas necessidades de raça. São poucos, mas existem alguns centros de adestramento no Brasil para cães de pastoreio. Imagine o quão feliz ficaria o seu lindo Collie se tivesse a real oportunidade de exercer seu trabalho ao pastorear um rebanho? Praticamente a realização de uma vida!

Entretanto, se não há nenhum centro desses perto de você, um bom Agility, Fly Ball, Jumping, entre outros esportes, podem resolver o problema. O Border é um excelente atleta. São muito ágeis e velozes, além de aprenderem muito rápido. Tornaram-se tão bons no que fazem que, no Agility, foi criada uma categoria especial apenas para eles concorrerem entre si, dando alguma chance as demais raças.

Desenvolvem grande amizade, obediência e respeito com o dono (dizem que consegue pressentir a proximidade de seu dono a cerca de 100 metros), o qual é a principal fonte de motivação ao aprendizado para o Collie. Um bom dono conseguirá excelentes resultados em poucos meses, uma vez que a raça costuma ser “precoce” e se desenvolve mais rápido que as demais. Agora, se a sua real intenção é ter um cãozinho companheiro e quietinho sem se esforçar, essa raça definitivamente não é para você! Vai ter que suar (e muito) pra que ele fique nesse estado calmo e submisso…

Aparência

Como mencionado anteriormente, o Border foi desenvolvido mais por suas habilidades no trabalho do que por suas características físicas. Portanto, a raça não segue um padrão muito rígido em relação ao tipo físico desejado, gerando uma quantidade enorme de cores e marcações possíveis, puxando principalmente para o preto, branco, chocolate, vermelho, tricolor, merle, sable e saddle. (ai… ele é lindo!)

Seu tamanho varia entre 40 e 53cm, medidos na altura da cernelha. As fêmeas costumam ser um pouco menores, e pesam uns 25kg. Machos pesam entre 13 e 27kg, gastando uma média de 300 a 550g de ração por dia.

Os pelos podem ser longos (ou grosseiros), com cerca de 8cm de comprimento, ou curtos (lisos) com 2,5cm. As orelhas são de tamanho médio, inseridas no alto da cabeça. O corpo é um pouco mais comprido do que alto, e o focinho relativamente fino.

Saúde

Como todo cão, o Collie também sofre de alguns males hereditários. Uma delas é a Atrofia Progressiva da Retina, uma atrofia que ocorre devido ao depósito de melanina e que pode aparecer a partir dos três anos. Outro problema é CEA (Anomalia do Olho do Collie), caracterizada pelo descolamento da retina. Essa doença aparece bem cedo, atinge 2% dos exemplares e resulta em sangramentos e cegueira. A displasia coxo-femural (anomalia no encaixa do fêmur e da bacia) já foi relatada, mas é rara de ocorrer.

Ainda que você opte por dar banhos apenas uma vez ao mês, não pode relaxar nas escovações. Nos de pelo longo, o ideal até é que ocorram todo santo dia!

Curiosidades

A arte de pastorear e a Inteligência aprimorada

Esse lance de pastoreio é tão forte no Border que, mesmo quando filhote, já assume a pose típica de trabalho: cabeça para frente abaixada e garupa alta. Achei interessante, em um dos textos pesquisados, a autora considerar essa raça a workholic entre as demais. Por tudo que li, parece ser isso mesmo *rs*. Dizem que a principal característica desse cão seria o chamado “power eye”: um olhar penetrante que consegue dominar rebanhos.

Em seu país de origem, estima-se que 98% de todas as propriedades rurais se utilize de cães para auxiliar nos rebanhos (a maioria Borders), até mesmo porque os terrenos íngremes e nada lisos tornam impossível o trabalho de pastoreio para os cavalos. O Border pode trabalhar sozinho ou em grupo dependendo do tamanho do rebanho. Basta um sinal do dono para o cão mudar seu movimento. Comandos verbais são frequentemente utilizados, mas em seu país de origem nem sempre o cão consegue ouvir o comando por conta da distância, neblinas e ventos. Sendo assim, temos o famoso apito para Borders, instrumento que alcança longa distância e permite ouvir com total clareza. Esse tipo de apito tornou-se mundial e auxilia a comunicação entre o homem e seu cão pastor.

De acordo com o livro A Inteligência dos Cães, de Stanley Coren, o Border Collie é considerado o número 1 na lista dos mais inteligentes. Isso acaba sendo uma faca de dois gumes, convenhamos. A facilidade que eles tem para aprender o que queremos é a mesma para que aprendam coisas que não queremos, e na mesma rápida velocidade.

Referências: http://pt.wikipedia.org/wiki/Border_Collie ; http://www.suapesquisa.com/cachorros/border_collie.htm ; http://www.avarebc.com/site/caracteristicas ; http://www.dogtimes.com.br/border.htm ; http://www.caespastores.com/racas/border_collie_alexandre.htm

5 comentários em “Raças – Border Collie

  1. Gente, Natty, que coincidência. Eu e meu namorado estávamos pensando em justamente comprar um Collie. Estávamos assistindo à um programa no Animal Planet sobre as diferentes raças de cães, e ficamos apaixonados pelo Collie. Quando eu vi o tema do seu post quase morri.

    Muito bom
    Seu blog tá de parabéns, Continue assim.

    Bjos

    1. Valeu Lor!!!! Obrigada pelo elogio^^

      Ow… mas vcs tem esse pique todo pra cuidar de um border?? Tem que ter energia e disposição hein… pois ele pode se tornar um pestinha hahaha. Ou então uma boa grana pra investir em passeadores e treinamento de agility haahhaha. Mas é um cão maravilhoso…. além de lindo. Se gastar direitinho a energia dele, terão uma maravilhosa e leal raça em casa!!!!

      Bjsssss

  2. Tenho um com dois anos de idade. Com toda essa energia que a raça tem, estou pretendendo adotar um outro cão (vira lata) para fazer companhia. Você acha uma boa?
    Grato,
    Henrique

    1. Olha, confesso que sua vida vai ficar um tanto quanto conturbada. Porém, um cão com uma energia menor que a do seu atual pode gerar estresse entre os dois. Outro border será uma ótima companhia, mas aumenta-se demais a probabilidade de destruirem sua casa caso não os exercite bem. Um levará o outro a destruir tudo, portanto drene bem a energia deles.
      Se você já dá conta de um e acha que consegue dar conta de outro, os dois poderão ser uma ótima companhia.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s